Emissão da Credencial Oficial do Peregrino de Santiago.

O "Grupo Peregrino da Paz - Caminho Santiago Brasília" está autorizado pelo centro de acolhida do peregrino da catedral de Santiago de Compostela a emitir a "credencial do peregrino". Ela é emitida aqui mesmo em Brasília gratuitamente.

As pessoas interessadas em informações atualizadas do Caminho Santiago, tais como planilhas, listas de albergues e hospedagens, perguntas mais frequentes, e informações básicas entre em contato através e-mail: manoelbrasilia@gmail.com

Quem sou eu

Minha foto
Brasília, Distrito Federal, Brazil
O primeiro contato com o “Caminho de Santiago” foi em 1994. Após quase dois anos em busca de informações mais consistentes realizei o meu primeiro caminho em junho de 1996. Após os primeiros passos continuo até hoje. Ao longo dos anos foram percorridos diversos caminhos que levam a Santiago de Compostela. Além do tradicional Caminho Francês percorrido por diversas vezes também realizei outros trajetos. Em destaque o " Caminho Aragonês" , “Caminho País Vasco Interior e da Costa”, “Caminho Cantábrico”, “ Caminho Asturiano Interior e da Costa”, “Caminho Primitivo”, “Caminho Inglês”, “Caminho Português”, “Caminho de Madrid”, “Caminho del Ebro” e “Caminho de Antonino. Tive também a oportunidade trilhar a “Ruta del Cares”, a “Islas Cies”, “Vale de Azkoa-Selva Irati”, e outras ramificações de caminhos da Galícia, Navarra e Astúrias.

domingo, 22 de dezembro de 2013

Natal de Paz e Novos caminhos em 2014.

foto de Manuel Rossi
Agradeço a todos que participaram das atividades de Natal do nosso Grupo.
As festividades de Natal das Crianças de Mato Seco – GO, e a nossa confraternização de Natal demonstram que estamos percorrendo nossos caminhos da melhor forma que podemos.
Cada um sabe das suas fraquezas e mazelas, mas segue em frente na busca do melhor que o nosso “Caminho de Santiago” nos proporciona, e digo nos proporciona, pois estamos no caminho sem desejo de chegar ao final.
Que prossigamos na “Alquimia do Tempo”
 A Alquimia do tempo.
Certa vez apareceu numa aldeia da Idade Média um alquimista que prometia ensinar a transformação de qualquer metal em ouro.
Apesar da ironia de algumas pessoas ele pegou uma ferradura, e derramou sobre a mesma um líquido de um frasco que guardava em sua sacola de viagem.
 Alguns segundos de silêncio, e para espanto dos curiosos a ferradura sofreu uma transmutação de metal para ouro.
O objeto foi examinado por um ourives que atestou a transformação do metal em ouro puro. O povoado inteiro queria agora saber como obter tamanha riqueza.
O alquimista pegou então um grosso livro de sua sacola e disse estar contido nele o segredo da transmutação de metais em ouro.
O livro foi entregue a uma criança do povoado, e o alquimista partiu tranquilo sem que ninguém percebesse o seu súbito desaparecimento.
Em pouco tempo todos possuíam uma cópia do valioso manuscrito.
A receita de produzir ouro passou a ser conhecida por todos.
Como a fórmula era muito complexa logo os menos persistentes desistiram, e apenas um grupo se manteve fiel ao intento.
 A tal fórmula exigia água destilada mil vezes no silêncio da madrugada, e outros ingredientes a serem colhidos em noites especiais.
O tempo correu, e o grupo que durante as longas jornadas proseavam juntos muitas histórias divertidas, e situações inusitadas fizeram crescer uma grande amizade.
O grupo de alquimia finalmente chegara ao final das instruções do livro, e lá estava escrito: Se todas as instruções fossem seguidas teriam o líquido que derramado sobre qualquer metal se transformaria em ouro.
 Apesar do grande empenho muitas condições não puderam ser cumpridas, e o produto final tão almejado que era a riqueza do ouro transformou-se em uma grande ilusão.
Porém, ao final o grupo entendeu que a maior riqueza não estava no produto final obtido, mas sim no caminho percorrido por eles. Os momentos partilhados como verdadeiros amigos tinham uma riqueza amorosa tão grande que o brilho do ouro não poderia suplantar.
E da Idade Média aos dias de hoje o que nos torna infinitamente ricos não é a quantidade de ouro que conseguimos produzir, mas os momentos que compartilhamos com os verdadeiros amigos.
Do texto acima nos reportamos ao nosso ”Caminho de Santiago de Compostela” por onde peregrinamos, e ao longo de muitas jornadas encontramos amigos que acreditam também na ”alquimia do tempo”.
Que ao final de mais um ano, ou caminho percorrido, possamos continuar a nossa “alquimia do tempo” chegando a Santiago de Compostela sem esquecer a riqueza da amizade sincera ao longo das jornadas fáceis ou árduas.
 Desejo aos amigos e peregrinos.
Um Natal de Luz e Paz e que, na alquimia do tempo, em 2014 percorramos atentos os caminhos antes de mais um final.
Manoel.

Caminho Santiago Brasília.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.