Emissão da Credencial Oficial do Peregrino de Santiago.

O "Grupo Peregrino da Paz - Caminho Santiago Brasília" está autorizado pelo centro de acolhida do peregrino da catedral de Santiago de Compostela a emitir a "credencial do peregrino". Ela é emitida aqui mesmo em Brasília gratuitamente.

As pessoas interessadas em informações atualizadas do Caminho Santiago, tais como planilhas, listas de albergues e hospedagens, perguntas mais frequentes, e informações básicas entre em contato através e-mail: manoelbrasilia@gmail.com

Quem sou eu

Minha foto
Brasília, Distrito Federal, Brazil
O primeiro contato com o “Caminho de Santiago” foi em 1994. Após quase dois anos em busca de informações mais consistentes realizei o meu primeiro caminho em junho de 1996. Após os primeiros passos continuo até hoje. Ao longo dos anos foram percorridos diversos caminhos que levam a Santiago de Compostela. Além do tradicional Caminho Francês percorrido por diversas vezes também realizei outros trajetos. Em destaque o " Caminho Aragonês" , “Caminho País Vasco Interior e da Costa”, “Caminho Cantábrico”, “ Caminho Asturiano Interior e da Costa”, “Caminho Primitivo”, “Caminho Inglês”, “Caminho Português”, “Caminho de Madrid”, “Caminho del Ebro” e “Caminho de Antonino. Tive também a oportunidade trilhar a “Ruta del Cares”, a “Islas Cies”, “Vale de Azkoa-Selva Irati”, e outras ramificações de caminhos da Galícia, Navarra e Astúrias.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Ação Social do Grupo Peregrinos da Paz / Brasília - DF

   O Grupo de peregrinos de Brasília mais uma vez reuniu-se em prol de uma causa que abraçou faz tempo.
O apoio para crianças e adultos no início das atividades escolares na comunidade de Mato Seco- GO.
Inicialmente foram adquiridos materiais diversos que alcançaram um montante de R$1.738,79.
Após a divulgação de uma história bem conhecida recebemos para compra do material restante mais R$ 2.115,57.
Foram adquiridos os materiais abaixo relacionados:
30 apontadores, 2 rolos de barbante c/305 metros, 51 borrachas, 285 cadernos, 120 canetas esferográficas,  81 caixas canetas hidrográficas, 100 folhas cartolinas diversas cores,  56 tubo cola branca 35 gramas, 2 frascos cola branca 500 gramas, 10 tubo de cola para EVA,  11 estojos , 100 fitas adesivas de diversas cores, 80 caixas de giz de cera, 1 kit de 6 pincéis, 92 caixas de lápis de cor, 144 lápis preto, 91 caixas de massa de modelar, 8 mochilas para meninas, 3 mochilas para meninos, 1 normógrafo, 20 resmas de papel sulfite, 40 maços de papel crepom de diversas cores, 20 folhas papel EVA diversas cores, 45 folhas papel laminado diversas cores, 40 folhas de papel pardo, 280 folhas de papel seda de diversas cores, 11 pastas para material escolar, 16 pincéis chato, 40 pincéis atômicos diversa cores, 20 réguas 15 cm,  1 régua geométrica, 12 tesouras escolar e 81 caixas de tinta guache.

Fizeram a diferença semelhante ao jovem da história os seguintes peregrinos:
Alberto Magno, Alice Queiróz, Ana Lopes, Ana Matilde Coelho, Ana Saenger, Antonio Carlos Soares, Antonio Queiróz, Apolinário Neto, Carmelita, Christina Almeida, Clara Barreiro, Conceição Gautier, Denize Borgatto, Dirce Abadia, Esmeraldo Dall”Oca, Etienne Gautier, Filipe Soares, Gustavo Engel, Helena di Tróia, Hilda Longhi, Isabela Seixas, Jussara Cimenti, Kátia Gonçalves, Lenir Fidélis, Luciana Cardoso, Manoel Gomes, Maria Arielma, Maria Selma Souto, Mary Kiomy,  Nizio Duze, Patricia Milhazes, Paulo Teotonio, Renato Alves, Suely Santos, Suzana Alves,  Terezinha Duze, Thaisa Soares, Valderez Braz, Vania Soares, Vaninho Ribeiro, Vera Engel e Welcimar.
As freiras franciscanas e a pastoral  agradecem em nome das crianças e familiares da comunidade de Mato Seco - GO.


Fizemos a diferença!

Esta é um historia já bem conhecida e muito bela também...
Era uma vez um escritor que morava em uma praia tranquila, próxima a uma colônia de pescadores.
Todas as manhãs ele caminhava à beira do mar para inspirar-se e, à tarde, ficava em casa escrevendo.
Certo dia, caminhando pela praia, viu um vulto ao longe que parecia dançar. Ao chegar perto, reparou que se tratava de um jovem que recolhia estrelas-do-mar da areia, para, uma a uma, jogá-las de volta ao oceano, para além de onde as ondas quebravam.
 “Por que você está fazendo isto”? Perguntou o escritor.
 “Você não vê”? Explicou o jovem, que alegremente continuava a apanhar e jogar as estrelas ao mar, "A maré está vazando e o sol está brilhando forte... elas irão ressecar e morrer se ficarem aqui na areia."
O escritor espantou-se com a resposta e disse com paciência:
 “Meu jovem, existem milhares de estrelas-do-mar espalhadas pela praia. Você joga algumas poucas de volta ao oceano, mas a maioria vai perecer de qualquer jeito. De que adianta tanto esforço, não vai fazer diferença?"
O jovem se abaixou e apanhou mais uma estrela na praia, sorriu para o escritor e disse:
 “Para esta aqui faz...", e jogou-a de volta ao mar.
Naquela noite o escritor não conseguiu escrever, nem sequer dormir. Pela manhã, voltou à praia, procurou o jovem, uniu-se a ele, e, juntos, começaram a jogar estrelas-do-mar de volta ao mar.
Foram entregues 11 kits escolares e mochilas aos  mais necessitados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.