Emissão da Credencial Oficial do Peregrino de Santiago.

O "Grupo Peregrino da Paz - Caminho Santiago Brasília" está autorizado pelo centro de acolhida do peregrino da catedral de Santiago de Compostela a emitir a "credencial do peregrino". Ela é emitida aqui mesmo em Brasília gratuitamente.

As pessoas interessadas em informações atualizadas do Caminho Santiago, tais como planilhas, listas de albergues e hospedagens, perguntas mais frequentes, e informações básicas entre em contato através e-mail: manoelbrasilia@gmail.com

Quem sou eu

Minha foto
Brasília, Distrito Federal, Brazil
O primeiro contato com o “Caminho de Santiago” foi em 1994. Após quase dois anos em busca de informações mais consistentes realizei o meu primeiro caminho em junho de 1996. Após os primeiros passos continuo até hoje. Ao longo dos anos foram percorridos diversos caminhos que levam a Santiago de Compostela. Além do tradicional Caminho Francês percorrido por diversas vezes também realizei outros trajetos. Em destaque o " Caminho Aragonês" , “Caminho País Vasco Interior e da Costa”, “Caminho Cantábrico”, “ Caminho Asturiano Interior e da Costa”, “Caminho Primitivo”, “Caminho Inglês”, “Caminho Português”, “Caminho de Madrid”, “Caminho del Ebro” e “Caminho de Antonino. Tive também a oportunidade trilhar a “Ruta del Cares”, a “Islas Cies”, “Vale de Azkoa-Selva Irati”, e outras ramificações de caminhos da Galícia, Navarra e Astúrias.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Caminho Francês a Santiago de Compostela - Etapa 3.

Paseo fluvial del rio Arga - Puente de Irotz.
Etapa 3
Zubiri a Pamplona.
Distância aproximada da etapa: 22,5 quilômetros.

Para reiniciar temos que atravessar de novo a Puente de La Rabia, e retomar o caminho seguindo a sinalização existente após a ponte.
Após uma trilha empedrada em boas condições chega-se a uma pista que passa no interior da fábrica de cimento, ou seja, a fábrica tomou parte da trilha.
Foi criada uma nova passagem para que o peregrino logo retorne ao seu percurso original.
Caminhos, trilhas e uma estrada vicinal conduzem o peregrino aos pequenos povoados de Ilarratz e Ezkirotz.
O caminho de Illarratz foi melhorado com uma trilha de calçada. Os moradores da região fazem a caminhada matinal por ela acompanhando os peregrinos da hora.
Podemos perceber que o caminho prossegue tendo à direita a companhia do rio Arga.
Por trilhas e pequenos bosques chega-se à entrada do povoado de Larrassoaña sem muita dificuldade.
Alguns peregrinos ao invés de pernoitar em Zubiri preferem prosseguir até Larrassoaña.
Caso o peregrino faça a opção de pernoite no povoado deve cruzar a ponte sobre o rio Arga para chegar ao centro do povoado onde se encontra o albergue.
Para prosseguir o caminho retornar, cruzar a ponte, e seguir de novo a sinalização existente.
Saindo de Larrassoaña o peregrino prossegue por estrada vicinal até Akerreta e a partir desse povoado têm início trilhas e bosques que conduzem o peregrino a um caminho muito bonito as margens do rio Arga até chegar ao povoado de Zuriain.
Nas proximidades de Zuriain abandonamos a trilha e cruzamos uma ponte sobre o rio Arga para chegar ao pequeno povoado, e na estrada principal N-135.
Durante pouco mais de 500 metros prosseguimos pela rodovia que leva a Pamplona, e depois à esquerda por uma estrada vicinal cruzamos novamente o rio Arga na direção de Irotz.
Um caminho bem sinalizado leva ao povoado, e pela última vez cruzaremos o rio Arga, e seguindo a trilha da região de Zabaldika.
Ao cruzar a bela ponte de Irotz atualmente temos como novidade um amplo espaço fluvial às margens do rio Arga, e uma nova opção de chegar a Pamplona pelo “Paseo Fluvial Del Arga”.
O caminho Santiago prossegue por trilha à esquerda da rodovia, e o “paseo fluvial” por pista mais próxima do rio.
Logo o caminho entra no acostamento da estrada, e chega a uma área de descanso muito ampla ao lado da rodovia N-135.
A opção pelo “paseo fluvial” abandona o caminho tradicional de Santiago e percorre uma nova área de proteção ambiental do rio Arga, e que leva também ao centro de Pamplona.
É um caminho amplo e plano que segue ao lado do rio por pista de bicicleta e de pedestres até a “Puente La Magdalena” na entrada de Pamplona.
O “paseo fluvial” aumenta o percurso em quase três quilômetros, e não passa pelos povoados de Trinidad de Arre e Burlada.
O caminho de Santiago tradicional abandona a área de descanso e prossegue à esquerda da rodovia e do rio por uma trilha sinuosa de um barranco com subida forte na direção da região de Arleta.
A subida é forte, mas não muito longa. Um pequeno trecho do barranco foi interditado por motivo de erosão, e que obriga ao peregrino subir mais um pouco.
A trilha de Arleta que percorre a região do antigo povoado onde se destaca as ruínas da “Ermita de Santa Marina”.
Quando o caminho se aproxima de uma área de escombros um túnel conduz o peregrino para o outro lado da rodovia e inicia uma ligeira subida ao povoado de Trinidad de Arre.
Após cruzar a “Puente Medieval de Arre” o peregrino entra no povoado que dará acesso a Burlada que é a porta de entrada de Pamplona.
Por uma ampla avenida inicia a primeira entrada de grande cidade.
Convém ficar atento aos sinais em postes, paredes e pisos para não perder a sinalização do caminho de Santiago.
E logo o peregrino chegará a “Puente Medieval de La Magdalena” sobre o rio Arga, e entrará na cidade de Pamplona pelo Portal de Francia.
O caminho então percorre a parte antiga da cidade tendo como referências as “Calles Del Carmen, Mercaderes e Mayor” que conduzem o peregrino a região central de maior interesse.
No centro da cidade procurar a oficina de turismo onde o peregrino obterá guias, mapas e informações.
As fotos para maior entendimento da etapa estão no álbum abaixo:
http://picasaweb.google.com.br/caminhosantiago.brasilia/Etapa3ZubiriAPamplona#
Em caso de dúvidas passe e-mail para:
manoelbrasilia@terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.